De onde veio e para onde vai a Netflix?

logo

Quem é que não conhece a Netflix? Com certeza você assina, conhece algum assinante ou conseguiu convencer aquele seu amigo que paga a dividir a senha com você. Com certeza você conhece pelo menos alguma produção exclusiva dela que fez muito sucesso recentemente, mas você sabia que ainda assim ela ainda não tem um público tão grande no Brasil? Aliás, você conhece a história da Netflix e as barreiras que ela vem quebrando recentemente?

Então senta, que lá vem a história.

A Netflix Inc. é uma empresa norte-americana de entretenimento fundada em 29 de Agosto de 1997, em Scotts Valley na, Califórnia. Os fundadores foram Reed Hastings (que ainda é o CEO da bagaça) e Marc Randolph. Ela é, hoje, especializada em fornecer streaming de mídia para o mundo e aluguel de DVDs e Blu-Rays com entrega pelo correio nos Estados Unidos. Em 2013, ela começou a produção the séries e filmes assim como a distribuição online de conteúdos.

Logo do app.

Em 1998, um ano depois da sua fundação, a empresa já havia crescido bastante no ramo de aluguel de DVDs entregues por correspondência. Em 2007, a Netflix expandiu seus negócios com a introdução do streaming de mídia, mas não abriu mão de manter o serviço de aluguel de DVDs e Blu-Rays. A empresa se expandiu internacionalmente com a disponibilidade do streaming estendida para o Canadá em 2010, e a partir daí só aumentou o número de países onde o serviço estava disponível. Em Janeiro de 2016, esse serviço da Netflix já estava disponível em mais de 190 países. A empresa entrou para o ramo de produção em 2013, com a estreia da sua primeira série, House of Cards. Desde então, ela aumentou exponencialmente a produção de filmes e séries oferecendo conteúdo “Netflix originals” para seus assinantes. Já existem mais de 120 títulos originais disponíveis (entre filmes e series), ultrapassando qualquer outro canal aberto ou pago.

Em Outubro de 2016, a empresa de streaming que divulgou ter mais de 86 milhões de assinantes no mundo todo, sendo mais de 47 milhões só nos Estados Unidos. O Brasil já conta com mais de 4 milhões de assinantes e está entre os países com maior índice de crescimento de assinaturas do serviço.

Impressionante, não é? Mas isso é apenas o resumo da Ópera. Os quase 20 anos dessa empresa fantástica foram cheios de acontecimentos. Não vou me aprofundar aqui nesses detalhes para não escrever uma bíblia, mas se vocês quiserem, eu faço uma matéria com todos os principais acontecimentos desde o lançamento da Netflix, beleza?

Um fato notável é que, como um empresa pioneira no oferecimento do serviço de streaming da maneira que conhecemos, ela foi muito criticada nos seus primeiros anos e muitos até a condenaram a falência, dizendo que não seria diferente de qualquer outra locadora física que tenha fechado por falta de demanda no decorrer dos últimos anos. Esses críticos não se atentaram de que a Netflix estava, na verdade, simplesmente antecipando uma tendência tecnológica.

Hoje, nos vemos todos os grandes canais que produzem o mesmo tipo de conteúdo investindo na disponibilização do seu conteúdo por streaming online como uma opção para seus assinantes. É o começo da revolução da TV como a conhecemos, é o começo da possibilidade de poder acessar qualquer conteúdo da maneira e no momento em que você quiser.

Você sabia que a Netflix vê o Brasil como uma “cobaia” para que eles também possam obter sucesso em outros países em que começem a operar? Infelizmente, não são apenas bons motivos que levaram a empresa a agir assim em relação ao nosso país. As grandes dificuldades enfrentadas para que ela pudesse começar a alcançar o povo daqui também foram fatores decisivos na hora de definir se eles viviam realmente investir ou não no país.

Foram parcerias, investimentos, pesquisas e tudo o mais que você pode imaginar que uma empresa possa fazer para mostrar que ela quer te oferecer algo que seja de qualidade para você. Tudo isso foi feito e continua sendo feito em uma tentativa de conquistar o público brasileiro e expandir o número de assinantes no país. E você já ouviu falar de qualquer outra empresa do ramo que se preocupe em ouvir a sua opinião? Resolver seus problemas? Melhorar o seu serviço? Pois é. agora você entende o motivo pelo qual as grandes empresas de Telecomunicações – que também comandam a oferta de TV por assinatura – estão tentando, de várias maneiras, banir ou inviabilizar a Netflix no Brasil.

Uma outra política muito legal da empresa é a de que, em qualquer país que eles operem, exista a produção de conteúdo local, inclusive com a participação de autores e artistas locais. Isso é maravilhoso, por que permite que não apenas a produção cultural seja apenas maior, mas que também possa ser acessada pelo mundo todo! Nós também passamos a ser expostos a conteúdos produzidos pelas mais diversas culturas, nas mais diversas línguas e trazendo verdadeira diversidade para a nossa sala.

Tá dando pra entender porque que eu sou fã dessa empresa? Netflix, contrata eu!

Estamos falando de uma empresa que investiu mais de seis milhões de dólares em conteúdo original, com o aumento de 800 milhões apenas em 2016. Uma empresa que tem a meta de ter 50% de seu catálogo composto apenas por programação produzida, coproduzido ou distribuído exclusivamente pela Netflix ( os Netflix Originals)!

Aliás, na verdade, estamos falando de uma empresa que, 4 anos após a estreia da sua primeira série original, já se tornou a maior produtora de seriados do mundo! Uma pesquisa conduzida pela emissora e sexo diz que o serviço de streaming produziu 43 séries exclusivas no total, 11 mais que a gigante CBS e 29 acima da sua principal concorrente direta, Amazon. Quer mais o quê?

logo

Pessoalmente, eu quero mais é que tenha muito mais 3%, Narcos, Sense8, Stranger Things, House of Cards, Orange is the new Black e tudo o mais que essa empresa tiver na telha para mandar para gente! Eu quero é que as empresas de Telecomunicações melhorem seus serviços quando encontram um concorrente superior, e não o tirem do mercado para continuar nivelado por baixo.

E vocês? Qual é a sua série favorita da Netflix? O que vocês me recomendam assistir de lá? Vocês acreditam que ela pode realmente liderar uma revolução da TV como a conhecemos? Comenta aí!